Quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

« voltar

10/08/2017 - 12h26 / Atualizada 10/08/2017 - 14h28



UEPG comemora os 15 anos do Nutead


O Nutead surgiu, em 08 de agosto de 2002, e contribui de forma efetiva para a projeção da UEPG no cenário do ensino superior brasileiro, pois suas ações se voltam para a qualidade dos cursos, garantindo a paridade com o ensino presencial


por Marilia Woiciechowski

O ensino a distância na UEPG comemora os 15 anos de atividades do Núcleo de Tecnologia e Educação a Distância (Nutead), que avançou em suas linhas e na qualidade crescente da oferta de cursos de graduação e pós-graduação (especialização). A criação do Nutead ocorreu, em 08 de agosto de 2002, e hoje dá suporte para todos os cursos e programas semi-presenciais e a distância da instituição. Na coordenação da UAB-UEPG (Universidade Aberta do Brasil) e na direção do NUTEAD, Eliane de Fátima Rauski explica que, atualmente, a instituição possuiu cinco mil alunos na modalidade EaD de ensino, incluindo os nove cursos de graduação e nove de pós-graduação, com financiamento da Capes (Coordenação de Pessoal de Nivel Superior).

Ressaltando a importância do ensino a distância, a diretora registra números do apoio tecnológico oferecido pelo Nutead para os cursos presenciais que oferecem disciplinas na modalidade EaD. Eliane relata que, no ano letivo de 2015, foram ofertadas 16 disciplinas para 12 diferentes cursos; em 2016, ocorreu a oferta de 19 disciplinas entre dez cursos de graduação; e em 2017 (1° semestre) foram ofertadas 11 disciplinas para seis cursos, confirmando a tendência da hibridização da educação (Blended Learning) com 2912 alunos em três anos. A diretora salienta que, embora a tecnologia seja a variável que distingue o trabalho no ensino a distância, ela é apenas uma ferramenta que precisa do talento humano para que atinja altos índices de qualidade e de eficiência. Ela pontua: “Considero o processo de institucionalização da EaD como nosso maior desafio. Isso porque está intimamente ligado à cultura, às crenças e aos valores formados em todo o contexto educacional, muitas vezes tradicional”.

Equipe e Números

Para Eliane Rauski, estar à frente da EaD com o suporte de uma equipe de alto desempenho, motivada, que busca conhecimento e que possui competências comportamentais necessárias a todo o processo que se desenvolve no núcleo é sempre um prazer mas também uma grande responsabilidade no sentido de atender às expectativas de todos os atores e que são muitas. “ Temos a cultura do desafio no Nutead - e quanto maior, cresce nossa vontade de demonstrar que é possível. Essas atitudes consolidam a trajetória do núcleo e muito nos orgulham”. Acerca do que se projeta de inovações para a modalidade, a professora Eliane diz que “são muitas e estão relacionadas a compartilhamento de conteúdos, saberes, desenvolvimento de tecnologias específicas, disciplinas em rede, cursos em rede, otimizando esforços, recursos e know-how”.

Em se tratando de números da EaD, ainda, a diretora conta que, excluindo-se os números relacionados com o Blended Learning (2.812 alunos), a entrada de alunos na graduação/pós graduação nessa modalidade de ensino está atrelada a Editais públicos. Em 2017, houve a oferta de 4.250 vagas para nove cursos de graduação: Bacharelado em Administração Pública, Tecnologia em Gestão Pública, Licenciatura em Pedagogia, Letras Português/Espanhol.; Matemática, História, Educação Física, Geografia, Computação e, nove cursos de pós-graduação/especialização: Educação Física Escolar, Gerontologia, Gestão de Eventos e Cerimonial Público, Gestão em Saúde, Gestão Pública, Gestão Pública Municipal; História, Arte e Cultura; Ensino de Filosofia, Ensino de Sociologia.

Números, Metas e Formato

A professora Eliane destaca que, além dos alunos, na EaD estão tutores, coordenadores, professores acessando o Ambiente Virtual. O que aumenta progressivamente o acesso de usuários - e que devem ser gerenciados diariamente. “Estes cursos são viabilizados pelos departamentos de ensino e conduzidos por nossos coordenadores de curso que não medem esforços para garantir o sucesso das ações pedagógicas”. Os números revelam o crescimento dos usuários que, em 2008, por exemplo, eram 1306; e chegam em 2017, com o registro de 19.831. A diretora enfatiza que a EaD tem contribuído de forma significativa para se atingir as metas do Plano Nacional de Educação, focando, principalmente na formação de professores.

Neste sentido, segundo ela, as universidades estaduais desenvolvem um trabalho de projeção nacional em razão de sua capilaridade, atingindo regiões onde o ensino presencial não teria viabilidade de instalação de unidades. “As Prefeituras, neste contexto, desempenham um papel de parceria ao se candidatarem a Polos UAB, pois, somente desta forma, chegamos, efetivamente, onde há demanda”. Eliane diz que os índices de eficiência da modalidade EaD se equivalem ao presencial, registrando: “ o que nos leva a crer que a sua consolidação, no formato híbrido, é a tendência para um futuro próximo”. A diretora do Nutead entende que a educação seja ela a distância ou presencial, transforma a vida das pessoas, dando oportunidades de carreira, de trabalho e satisfação profissional a quem conquista o seu diploma. “A EaD requer do aluno uma dedicação maior, e também uma melhor administração do tempo, desenvolvendo neles, em contrapartida, um perfil de competências diferenciado e que vem se mostrando dinâmico”.

Democratização do Ensino Superior

Orientando-se na experiência do trabalho na área, Eliane Rauski assinala que a frase que traduz o chamamento para a EaD é “democratização do ensino superior”. Isso porque a EaD chega onde está o aluno que mais precisa do ensino superior e que tem dificuldades de acesso pela localização dos municípios, na maioria pequenos, e sem a presença de uma instituição de ensino superior para atender a esta população. Sobre a ampliação da modalidade, a diretora diz que “ o caminho que se apresenta hoje, com bastante clareza é o da hibridização do ensino, com grandes possibilidades do crescimento da modalidade”. Para congregar alunos em diferentes áreas, segundo ela, o movimento maker se destaca no cenário mundial e foi amplamente discutido no 1º SIIES (Simpósio de Inovação em Educação Superior) realizado em junho/2017, em São Luis, com organização da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA) e pela Câmara de EAD da Associação Brasileira de Reitores das Universidades Estaduais e Municipais (Abruem), da qual a UEPG é integrante através do NUTEAD.

Destacando o papel do Nutead no ensino a distância, Eliane cita que, hoje, a partir do trabalho desenvolvido em parceria com demais instituições estaduais que compõe a ABRUEM, o núcleo realiza inúmeras atividades em Rede. Para exemplificar, aponta a formação continuada de professores, tutores e equipe multidisciplinar - e o encaminhamento de parceria, através da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (Propesp), para um Mestrado Profissional, também em rede, em Educação Inclusiva, divulgação das Boas Práticas desenvolvidas por toda a equipe na área de Gestão, Tecnologia e Tutoria. Dessa forma, como assinala, entende-se que o Nutead contribuiu, efetivamente, para a projeção da UEPG no cenário do ensino superior brasileiro, pois suas ações se voltam para a qualidade dos cursos, garantindo a paridade com o ensino presencial.

Início com o Normal Superior

Quando registra os caminhos da educação a distância nas UEPG, a professora doutora Leide Mara Schmidt, precursora da trajetória do NUTEAD, frisa que a modalidade se consolidou na instituição a partir das ações do Curso Normal Superior com Mídias Interativas (CNSMI), em 2000, e cresceu com a criação do Núcleo de Tecnologia e Educação Aberta e a Distância. A professora ressalta que o ensino a distância na instituição alcançou êxito em função do trabalho realizado por um grupo de professores que acreditaram nas linhas inovadoras de um projeto de formação de professores. “Nós fomos aprendendo não só a linguagem, a forma e como lidar com as questões do ensino a distância, mas também começamos a levantar nossas próprias orientações na área”. Também com presença na história do Nutead, a professora Cleide Faria Rodrigues sempre salientava que o ensino a distância na UEPG começou com o Normal superior.

Como o primeiro curso de graduação na modalidade a distância, o Normal Superior com Mídias Interativas marca, portanto, o início da trajetória da EaD na Instituição. A partir daí começa a caminhada do Nutead que, como relata Eliane, surgiu para democratizar o acesso à educação em todas as modalidades - e incentivar a comunidade acadêmica a criar e implementar projetos, programas e cursos de graduação, extensão e sequenciais ministrados nas modalidades semi-presencial e a distância, utilizando-se de novas tecnologias da informação e comunicação. Subordinado à Reitoria, o NUTEAD conta com uma Coordenação Geral e Pedagógica, um Conselho Consultivo, Coordenação de Programas, Secretaria, Setor de Planejamento e Financeiro e o Setor de Gestão das Tecnologias da Informação.

Ações do Nutead

Em suas atividades participa de diversos convênios e projetos via editais que subsidiam projetos como o Cefortec, Pró-Letramento, Pró-Licenciatura, Universidade Aberta do Brasil (UAB), Escola de Governo do Paraná, Parfor, Plano Anual de Formação Continuada, entre outros. Com oferta de cursos de graduação, especialização e de extensão vem atuando numa área geográfica com 46 polos, distribuídos nos estados do Paraná, Santa Catarina e São Paulo. Com metas de manutenção e inovação de suas atividades, de acordo com a diretora, as atividades iniciam o processo de assistividade para alunos especiais - e a constante busca de implementações que visem o sucesso da EAD e do crescimento e êxito dessa modalidade de ensino, na busca de cumprir seus objetivos no processo do ensino e da aprendizagem.

Também observa que, em 2016, ocorreu o lançamento do projeto de Extensão “EaD -Um Espaço de Aproximação com a comunidade através da Aprendizagem Virtual”, que foi concebido para atender a comunidade local, regional e a todos os interessados nacional e/ou internacionalmente na formação através de cursos de curta duração. O projeto atende à melhoria da qualidade, produtividade e atualização de práticas, bem como à reflexão de temas atuais da sociedade, considerando que os diferentes saberes produzidos pelas universidades propulsionam o desenvolvimento da sociedade, porém, não alcançam de forma igualitária todos os indivíduos.

Neste sentido, a coordenadora coloca a tecnologia como fundamental para levar estes conhecimentos, propiciando variadas oportunidades de capacitação, progressão no trabalho contribuindo para o desenvolvimento pessoal, com a melhoria do perfil de empregabilidade e oportunizando, concomitantemente, a sua inserção no universo das Tecnologias da Informação e da Comunicação (TICs). Acrescenta que, em seis meses de seu lançamento, houve adesão de 1.267 inscritos nos cinco cursos inicialmente oferecidos. O que reforça o entendimento de que os cursos no formato MOOC (Massive Openline Couse) podem a alcançar de maneira mais efetiva os interessados nas diferentes comunidades, considerando que atingiram alunos de 21 Estados da Federação Brasileira, e Distrito Federal.

Exemplos de Inovação

Com o curso de Matemática básica lançado, em maio de 2017, atingiu-se 755 alunos não somente interessados no território Nacional, como também no Continente Africano. Trata-se de exemplos do processo de inovação proposto pelo Nutead, que já conta com outros projetos em desenvolvimento para serem divulgados nos próximos meses. A diretora relata que, de 2002 a 2014, o Nutead se concentrou na educação a distância e compartilhou know how com outras instituições através de editais e parcerias. Concentrou-se, a partir de 2014, no viés da educação aberta no formato MOOC, tanto na extensão quanto de ensino - e no fornecimento de tecnologia e mídias dentro da própria instituição.

Esta ação abriu o ambiente virtual da UEPG para atender os cursos presenciais, residências técnicas, operacionalizando as defesas de mestrado e doutorado a distância, facilitando o processo aos docentes, alunos e otimização de recursos. “O núcleo também vem inaugurando ações compatíveis com o movimento Maker que vem crescendo no mundo todo, que logo será compartilhado com vocês, por enquanto trabalhamos na definição do projeto e das estratégias. Hoje temos diversos REAs (Recursos Educacionais Abertos) incluindo livros didáticos impressos e digitais acessíveis, vídeoaulas que podem ser utilizados pelos docentes, independentemente da modalidade de ensino”, completa a diretora do Nuterad.

Campus Uvaranas - Av. General Carlos Cavalcanti, 4748 - CEP 84030-900 - GPS: 25°5'23"S 50°6'23"W
Campus Central - Praça Santos Andrade, 1 - GPS: 25°5'11"S 50°9'39"W
Fone: (42) 3220-3000 / 3220-3300 - Ponta Grossa - Paraná
Copyright © 1996-2017 - Núcleo de Tecnologia de Informação - UEPG