Sábado, 20 de janeiro de 2018

« voltar

13/12/2017 - 15h45 / Atualizada 13/12/2017 - 16h37



CAOE registra ações de atenção aos estudantes


O diretor da CAOE, Milton Aparecido Anfilo, acentua que, em 2017, a coordenadoria se consolida no atendimento aos estudantes através da nova política de assistência estudantil da UEPG


por Marilia Woiciechowski

As ações desenvolvidas pela Coordenadoria de Assistência e Orientação ao Estudante (CAOE) da UEPG refletem resultados positivos em todos os seus setores de atendimento à comunidade acadêmica da instituição. O diretor da CAOE, Milton Aparecido Anfilo, acentua que, em 2017, a coordenadoria se consolida no atendimento aos estudantes através da nova política de assistência estudantil da UEPG. Vinculada à Prograd (Pró-Reitoria de Graduação), a CAOE tem a missão de desenvolver planos e projetos que atendam à comunidade acadêmica no seu processo dinâmico de desenvolvimento, segundo Anfilo. Ainda tem a responsabilidade de integrar os estudantes junto à comunidade universitária e implementar políticas de suporte aos estudantes em situação de vulnerabilidade social, na busca de mantê-los estudando.

Por isso, como frisa o diretor, neste ano, a CAOE prestou apoio a 21 estudantes indígenas através da Comissão Universidade para os Índios (CUIA), que tem a responsabilidade do acompanhamento pedagógico desses acadêmicos durante o curso, em conjunto com os colegiados de curso. Além disso, a Comissão Permanente de Apoio aos Acadêmicos com Necessidades Educativas Especiais (CAD), também ligada à CAOE, auxiliou 20 acadêmicos de cursos, que incluíram dificuldades educativas, ansiedades, dislexias, déficit de atenção, autismo, esquizofrenias, esquemias e deficiências visuais, auditivas e físicas. Outra atenção da coordenadoria refere-se à organização de atendimento especializado dos candidatos com necessidades especiais inscritos nos vestibulares e no Processo Seletivo Seriado (PSS da UEPG).

 Ao longo deste ano foram realizados 42 atendimentos especiais nesses concursos. Neste processo, a CAOE organizou o ensalamento e a seleção dos profissionais que atenderam a esses candidatos. A coordenadoria também fez a análise da situação socioeconômica dos candidatos aos vestibulares de inverno e verão que solicitaram a isenção do pagamento da taxa de inscrição nos referidos concursos. Para tanto, utilizou os mesmos critérios da Política de Assistência Estudantil para análise da condição de vulnerabilidade social. Através do Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), a CAOE concedeu a isenção da taxa de inscrição para 220  candidatos carentes para o Vestibular de Inverno,  e 98 para o Vestibular Verão em 2017.    

CadÚnico e Atendimentos

O titular da CAOE explica que o órgão escolheu o CadÚnico como o instrumento de avaliação da condição socioeconômica de estudantes e candidatos porque se caracteriza como um sistema que contém informações sobre as famílias brasileiras de baixa renda e que vivem em estado de vulnerabilidade social agrupadas em um só lugar. Milton Anfilo salienta que o CadÚnico é realizado pelos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS), unidades públicas de referenciamento para ações da proteção social básica, responsáveis pela inserção dos cidadãos nos programas, projetos e serviços de proteção social básica e especial, vinculados às Secretarias Municipais de Assistência Social, o que garante seriedade ao processo.

Milton Anfilo ressalta que, em 2017, o serviço de assistência social da CAOE realizou  82 atendimentos individuais, atendimentos para intercambistas e 30  visitas domiciliares para estudantes com problemas afetivos de ansiedade e depressão. Também orientou os estudantes e as coordenações de cursos que optaram por atendimento do Programa de Tutoria Discente (PTOTUDI). “Nove acadêmicos, em 2017, tiveram a oportunidade de contar com um tutor discente para auxiliá-los em suas tarefas estudantis”. O diretor também observa que a coordenadoria se superou no atendimento a acadêmicos em geral. Isso porque, em 2017, mais de dois mil estudantes formalizaram pedidos de informações ao órgão, além dos atendimentos diários por telefone e e-mail.

Guia e Política

Para melhor informar aos estudantes sobre seus direitos e deveres, a coordenadoria lançou o Guia do Estudante 2017, que foi entregue para dois mil calouros.  Nesse contexto, a principal conquista da CAOE tem a ver com a aprovação pelo Conselho de Administração da instituição, da Política de Assistência Estudantil (Res. CA 095/2017), regulamentando os benefícios institucionais aos alunos carentes em situação de vulnerabilidade social. Tal Política foi apresentada por uma comissão nomeada pela Reitoria da UEPG, em 2015, contando com representantes dos estudantes, CAOE, Proplan (Pró-Reitoria de Planejamento), Proad (Pró-Reitoria de Administração), Proex (Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Culturais, Propesp (Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação) e Projur (Procuradoria Jurídica).

Neste aspecto, a coordenadoria proporcionou o desconto de 50% para 92 universitários e isenção total do valor da refeição para 259 acadêmicos que comprovaram carência econômica. Tornou possível a inclusão de 369 acadêmicos no CadÚnico UEPG, possibilitando a esses estudantes a gratuidade em todos os cursos, projetos e eventos promovidos pela UEPG, atendendo à sua situação de vulnerabilidade social . Milton Anfilo cita que outra conquista obtida pela comunidade universitária foi a aprovação da Política de Assistência Estudantil. O que permitiu a bolsa permanência que se constitui em um auxílio financeiro mensal no valor de R$ 400,00, a ser pago aos estudantes que comprovem situação de vulnerabilidade social. Depois de análise, a CAOE aprovou a concessão de 10 bolsas permanência pagas com recursos da UEPG.

Fundo e CEU-UEPG

Além da bolsa permanência, o diretor observa que foi instituído o fundo de assistência estudantil. Trata-se de uma reserva financeira feita com percentuais de eventos realizados na UEPG, doações e vendas de produtos com a logomarca da instituição. Como destaca Milton, este fundo deverá ser regulamentado pela UEPG em 2018. “O fundo de assistência estudantil já beneficiou, em 2017, uma acadêmica com uma bolsa emergencial financiada com recursos da UEPG”.

 Milton Anfilo assinala que, em 2015, a CAOE encaminhou aos Conselhos da instituição uma proposta de Regimento Interno para a Casa do Estudante Universitário (CEU-UEPG, que estava em construção. Naquela época, sugeriu a criação do Conselho Administrativo da Casa do Estudante (CONACE), para administrar a moradia estudantil. A proposta foi aprovado pela Res. CA 037/2015. Com a inauguração do novo prédio, a CAOE realizou a seleção dos acadêmicos que solicitaram a moradia estudantil, conforme a Política de Assistência Estudantil.  “Oito acadêmicos foram beneficiados com moradia na Casa do Estudante em 2017”, diz o diretor. 

 

Campus Uvaranas - Av. General Carlos Cavalcanti, 4748 - CEP 84030-900 - GPS: 25°5'23"S 50°6'23"W
Campus Central - Praça Santos Andrade, 1 - GPS: 25°5'11"S 50°9'39"W
Fone: (42) 3220-3000 / 3220-3300 - Ponta Grossa - Paraná
Copyright © 1996-2018 - Núcleo de Tecnologia de Informação - UEPG