Domingo, 18 de novembro de 2018

« voltar

02/10/2018 - 08h39 / Atualizada 02/10/2018 - 09h10



APIESP reúne reitores das universidades estaduais do Paraná


Equipes das instituições de ensino superior público do Paraná discutiram internacionalização, traçaram metas para a ação da entidade e definiram as linhas de uma Carta ao Governador ou à governadora do Estado para o próximo quadriênio


por Assessoria de Imprensa

A Associação Paranaense das Instituições de Ensino Superior Público (APIESP) realizou o sétimo Seminário de Internacionalização das Instituições de Ensino Superior do Paraná e terceira edição do Congresso Técnico APIESP. O evento aconteceu em 27 e 28 de setembro no Spazio Marine Hotel, em Guaratuba.

No primeiro dia de evento, diretores e assessores de Relações Internacionais das sete universidades estaduais públicas do estado do Paraná discutiram ações para o fortalecimento da internacionalização. O grupo debateu projetos de colaboração entre a APIESP, a Rede Zicosur Universitária e Associação Universitária da América Latina e Caribe (AUALC). Sulany dos Santos, Diretora do Escritório de Relações Internacionais, e a Mariza Tulio, Coordenadora institucional do Programa Paraná Fala Idiomas – PFI, representaram a UEPG nas plenárias e Grupos de Trabalho.

No segundo dia de atividades, o evento reuniu os reitores das Universidades Estaduais de Londrina (UEL), Maringá (UEM), Ponta Grossa (UEPG), Unioeste, Unicentro, Universidade Estadual do Norte Pioneiro (UENP) e Universidade Estadual do Paraná (UNESPAR).

A mesa de trabalhos debateu os “Entraves na Gestão das Universidades Estaduais: o papel da APIESP frente aos desafios apresentados pelo contexto atual”. Cada reitor teve dez minutos para abordar os pontos críticos da instituição que está sob sua gestão. Na sequência, as equipes das universidades compuseram grupos de trabalho.

Apagão Funcional

A falta de concursos públicos foi tema central do debate entre os reitores. Júlio César Damasceno, reitor da UEM, destacou a necessidade da renovação dos quadros funcionais. “Estamos num ritmo em que temos duas aposentadorias por dia”. Sérgio Carlos de Carvalho, reitor da UEL, abordou a questão a partir do risco de um “apagão funcional”, segundo ele, principal entrave à gestão das universidades públicas paranaenses.

Impacto social

O reitor da UEM abordou o impacto das universidades nas comunidades em que estão inseridas. “Precisamos que todo o conhecimento produzido pelas universidades paranaenses pode ser revertido para a sociedade. Nosso senso crítico deve ser permeado por um profundo sendo de responsabilidade social. Isso requer uma profunda mudança na cultura institucional”, afirmou o reitor da UEL. No mesmo sentido, Miguel Sanches Neto, reitor da UEPG, reiterou que a universidade precisa demonstrar as razões pelas quais a sociedade deve defender o ensino superior público no estado do Paraná. “É preciso que a universidade saia da cultura isolacionista, de laboratório, e demonstre o seu impacto nas regiões onde atua”, enfatizou Sanches.

Diálogo

Paulo Sérgio Wolf, reitor da Unioeste, destacou que é importante empoderar as Universidades. “As nossas instituições têm muito a oferecer às diferentes Secretarias de Estado. Não é só necessário saber o que nós queremos do novo governo do Estado, mas o que ele quer de nós, principalmente”, enfatizou Wolf.

Assistência Estudantil

Aldo Nelson Bona, reitor da Unicentro, destacou a urgência em se “superar assimetrias”, entre elas a situação crítica de permanência dos estudantes no ensino público. “Precisamos pensar em assistência estudantil porque nossos estudantes têm dificuldades em se manter estudando”. Bona destacou também que as universidades devem organizar um Plano Geral de Prevenção de Incêndio. “A manutenção dos prédios das universidades requer atenção para que sejam evitados desastres como vimos no Museu Nacional do Rio de Janeiro”, concluiu.

 

Planejamento 

A contabilidade das universidades, Fundo Paraná e o novo sistema de gestão de patrimônio foram abordados pela presidente da APIESP e reitora da UENP, Fátima Aparecida da Cruz Padoan. Ela aproveitou para concordar com Bona sobre a necessidade de um plano de incêndio para preservação do patrimônio imóvel das instituições. O vice-reitor da Unespar, Sidney Roberto Kempa, falou das dificuldades de se administrar uma estrutura de vários campi em diferentes cidades do Paraná. Sidney discorreu sobre a necessidade de planejamento financeiro também. “Precisamos planejar porque quando fazemos somente o urgente deixamos de fazer o prioritário”, concluiu.

 Documentos

As atividades incluíram a assinatura do termo de cooperação entre Inglês Como Meio de Instrução (EMI) e Centro de Apoio de Produção Acadêmica (CAPA). O termo foi chancelado pelos reitores que integram o Paraná Fala Idiomas – Inglês e Universidade Federal do Paraná. Outro documento delineado durante o evento foi a Carta dos Reitores ao Governo do Estado. “Esta carta será encaminhada oportunamente a quem vier a vencer a eleição para o governo”, esclarece Sanches.

 Fortalecimento

Em sua fala, o reitor da UEPG disse que a instituição irá priorizar a participação ativa na APIESP, que deve seguir sendo estratégica na definição de políticas públicas para o Ensino Superior. Na sua concepção, a Associação tem o papel de forçar o diálogo com o governo, liderando as discussões. Sanches defendeu também ações conjuntas entre as universidades, para um trabalho tanto político como acadêmico em rede.

Campus Uvaranas - Av. General Carlos Cavalcanti, 4748 - CEP 84030-900 - GPS: 25°5'23"S 50°6'23"W
Campus Central - Praça Santos Andrade, 1 - GPS: 25°5'11"S 50°9'39"W
Fone: (42) 3220-3000 / 3220-3300 - Ponta Grossa - Paraná
Copyright © 1996-2018 - Núcleo de Tecnologia de Informação - UEPG