UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA

Quarta-feira, 23 de janeiro de 2019

« voltar

09/01/2019 - 10h09 / Atualizada 09/01/2019 - 10h33



Cesta Básica de Ponta Grossa teve alta em dezembro


Com aumento de 0,54%, a compra dos 33 produtos que compõem a cesta básica passou a custar R$482,73 na primeira semana em janeiro de 2019


por Marilia Woiciechowski

Dezembro registra aumento no custo da cesta básica de Ponta Grossa. Com alta de 0,54%, a compra dos 33 produtos que compõem a cesta passou a custar R$482,73 na primeira semana em janeiro de 2019. Dos itens da cesta, 23 subiram, 09 tiveram queda e 01 continuou constante. O desinfetante foi o item de maior alta com 28,96%; e o tomate teve a maior queda com 35.09%.

O índice de dezembro de 2018 corresponde ao período da primeira semana deste mês com a primeira semana de janeiro de 2019. A pesquisa realizada pela equipe do Núcleo de Economia Regional e Políticas Públicas (NEREPP - UEPG) caracteriza o consumo básico de alimentação, higiene e limpeza de famílias com três membros em média, com renda de 1 a 5 salários mínimos e residentes em Ponta Grossa.

Entre os cinco grupos da cesta básica, o que apresentou a maior alta foi o da limpeza com 9,53%, refletindo no aumento do preço da cesta. O  produto de maior peso na cesta foi o desinfetante com 28,96%; o grupo de maior queda o hortifrutigranjeiros com 13, 10%; e o tomate o produto de maior queda com 35,09%. Como mostra a pesquisa do NEREPP, quando observa as variações mensais nos grupos, o de alimentação geral teve alta de 1,21%, e dentro deste, o macarrão foi o produto responsável pela maior variação positiva de 16,84%, com o feijão apresentando a maior variação negativa com 5,51%.

A pesquisa também traz o grupo de hortifrutigranjeiros com queda de 13,10%, e neste, o produto de maior variação positiva foi a cebola com 8,63%, e o tomate com 35,09% de maior variação negativa. Com queda de 1,55%, o grupo carne o frango com a maior variação positiva de 1,48%; e a carne bovina com a maior variação negativa de 2,83%.

O grupo higiene aumentou 2,35% marcando como produto de maior variação positiva o desodorante com 7, 99%; e com a maior variação negativa o sabonete com queda de 7,12%. A alta do grupo limpeza foi de 9,53%, e dentro deste, o produto de maior variação positiva foi o desinfetante com 28,96%; e o produto de maior variação negativa o amaciante com 5,35%.

Considerando o valor da cesta básica em R$ 482,73 – e o salário mínico de R$954,00, a pesquisa conclui que uma família com renda mensal de apenas um salário mínimo vai gastar cerca de 50,60% de sua renda em sua compra. O que mostra que sua atual renda seria suficiente para adquirir a cesta básica. A pesquisa revela que, ao se relacionar famílias de dois, três, quatro e cinco salários mínimos, observa-se que, para a aquisição da Cesta Básica, despenderiam respectivamente de 25,30%; 16,87%; 12,65%; e 10,12% de sua renda.

Os pesquisadores do NEREPP registram que os preços promocionais nem sempre demonstram a realidade. Isso porque alguns produtos foram encontrados mais baratos que em estabelecimentos onde estavam em promoção. Também alertam que o Índice Cesta Básica (ICB) não deve ser confundido como aferidor de inflação.

 

Campus Uvaranas - Av. General Carlos Cavalcanti, 4748 - CEP 84030-900 - GPS: 25°5'23"S 50°6'23"W
Campus Central - Praça Santos Andrade, 1 - GPS: 25°5'11"S 50°9'39"W
Fone: (42) 3220-3000 / 3220-3300 - Ponta Grossa - Paraná
Copyright © 1996-2019 - Núcleo de Tecnologia de Informação - UEPG